Nos dias 02 à 05 de junho de 2022 aconteceu o 11º Congresso Nacional da Psicologia (CNP), instância máxima de deliberação do Sistema Conselhos de Psicologia. Com o tema “O Impacto Psicossocial da Pandemia: Desafios e Compromissos para a Psicologia Brasileira Frente às Desigualdades Sociais”, o Congresso foi realizado no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB). Organização pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP).

O CRP-24 participou representado pelas (os) 15 Delegados e 4 Estudantes eleitos no 1º COREP do CRP-24. Foram 4 dias de extensos trabalhos onde o CRP-24 participou ativamente das discussões sobre o futuro da Psicologia no Brasil. No segundo dia do Evento os 375 delegados foram divididos em 9 grupos de trabalho onde foram apreciadas as propostas dos 3 eixos temáticos do 11º CNP, são os eixos: 1)Organização Democrática e Participativa do Sistema Conselhos no Enfrentamento da Pandemia; 2)Defesa do Estado Democrático e dos Direitos Humanos via Políticas Públicas; 3) O fazer ético e científico da Psicologia no trabalho em saúde mental.

A delegação do CRP-24 foi composta pelos profissionais: Denise Elidia da Silva (AC), Dom Érick Lopes Amurúz (AC), Ramon Neves Matos (RO), Ademir Da Costa (RO), Luciana de Carvalho Rocha (AC), Aneli Pereira De Araujo Gois (RO), Cleibson André Nunes Torres (RO), Ana Caroline Rodrigues Da Silva (AC), Deandrison de Oliveira Amaral (AC), Vinícius Gomes da Silva (RO), Marcelo Dos Santos De Almeida (AC), Loize Caroline Rodrigues Sampaio (AC), Daniel Antonio De Toledo Gomes (RO), Talita Mortari Montysuma Leite (AC), Celia Almeida dos Santos (RO) e pelos estudantes: amila Fernandes Ugalde (RO), Ivo Mauricio Scheffer (RO),Kassia Geovana Ferreira Costa (AC), Rodrigo de Paiva Soares (AC)

Nos grupos de Trabalho o CRP-24 esteve presente nas mesas diretivas como relatores nos grupos:

Foram analisadas as 308 propostas aprovadas e sistematizadas nas etapas regionais. Todas as propostas analisadas foram apreciadas em plenária nos dias 04 e 05 de junho, Entre os temas debatidos nesta sexta-feira pelas psicólogas e psicólogos estão: condições de trabalho, democratização do Sistema Conselhos, a relação com as entidades, transparência, emergências e desastres, crianças e adolescentes, reforma psiquiátrica e luta antimanicomial, educação, relações raciais, avaliação psicológica, psicoterapia, relação com a Justiça e ampliação do exercício profissional, entre outros.

As propostas aprovadas irão compor o Caderno de Deliberações do 11º CNP, com as diretrizes de atuação para o próximo triênio do Conselho Federal de Psicologia (CFP) e dos Conselhos Regionais de Psicologia (CRPs). Além da votação das propostas, foram apreciadas 22 moções pela Plenária contendo manifestações de repúdio e indignação e de apoio a causas da categoria.

“Estamos nos construindo como uma categoria profissional comprometida com o enfrentamento às desigualdades e às opressões. Isso está demarcado em nossas construções coletivas e democráticas: em nossas resoluções, campanhas e, também, na nossa participação em espaços de controle social”. Não há Psicologia sem nós”,

Ana Sandra Fernandes – Presidente do CFP

O último dia de CNP também foi palco de manifestações de grupos da Psicologia. Os atos foram realizados nos intervalos da Plenária. O primeiro teve à frente grupo de psicólogas(os) LGBTQIA+. Em seguida, psicólogas(os) pediram atenção para as(os) profissionais surdas(os) e mudas(os). Na plenária da tarde, profissionais indígenas também chamaram a atenção para o assassinato dessa população no país.

Além das Manifestações dos grupos, as Psicólogas Presentes fizeram um Ato pelas 30 Horas da Psicologia, onde pediram o apoio dos parlamentares na aprovação da PL 1214/2019 que deve entrar em pauta na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público nos próximos dias na Câmara dos Deputados.